Vendas de CDs gospel está em alta no Brasil

Enquanto as gravadoras seculares perdem mercado na venda de CDs em virtude da pirataria, a indústria fonográfica gospel prospera, tanto em popularidade como em vendas.

Esse cenário favorável para os artistas gospel despertou o interesse de gravadoras como Som Livre e Sony Music para a incorporação de selos gospel em seus produtos fonográficos. Outro fator importante para a criação destes selos se deve ao fato de que o mercado secular detém a marca de 60% de suas vendas serem de forma pirata, contrastando com apenas 15% do mercado gospel.

Uma das maiores gravadoras evangélicas do Brasil, a MK Music já vendeu mais de 3 milhões de CDs e DVDs, quebrando seus próprios recordes de vendas. Até o final de 2010, a previsão é de que sejam vendidas pelo menos 600 mil unidades, crescimento de 20% em comparação a 2010.

Yvelise de Oliveira, presidente da MK Music, afirmou em entrevista recente ao Gospel+ que as gravadoras seculares não dão a devida atenção para o artista gospel. Yvelise cita o caso de uma cantora que vendia cerca de 1 milhão de cópias quando lançada pela MK Music e que após a mudança o lançamento por uma gravadora secular registrou a venda de 700 mil cópias.

A estimativa de movimentação financeira anual do mercado fonográfico gospel é de 2 bilhões de reais.

Você concorda?

Este post contém informações retiradas do Portal Gospel+.